Docentes e Projetos

Adair Bonini [Lattes] [adair.bonini@gmail.com]

Projetos de Pesquisa:

2019 – Atual
Jornal escolar digital, políticas de ensino de práticas jornalísticas e a aprendizagem crítica
Descrição: A introdução de práticas de linguagem como conteúdos curriculares no Brasil, a partir da década de 90, implica na escolha de formas de representar, discursivizar e ensinar tais práticas. Este projeto tem por objetivo analisar experiências de produção de jornais escolares digitais, considerando as políticas de ensino de práticas jornalísticas que regem essas experiências e os potenciais para a ação crítica que esse trabalho oportuniza. Os materiais analisados compreendem tanto experiências no ensino fundamental quanto no ensino médio. O trabalho se orienta pela perspectiva teórica da Análise Crítica de Gêneros de orientação freireana (BONINI, 2013) e pela Glotopolítica (ARNOUX, 2015c)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: / Mestrado profissional: (2) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Adair Bonini – Coordenador / Daniella De Cássia Yano – Integrante / Edna Kurisini Diatel – Integrante / Joselice Da Rocha Leal – Integrante.

 

2018 – Atual
Análise crítica de gêneros e políticas de ensino de práticas de linguagem
Descrição: O estudo dos gêneros do discurso em uma perspectiva crítica é, conforme Bonini (2013), uma forma de o pesquisador ou a pesquisadora tomar parte na resolução de problemas sociais. A pesquisa, nesta perspectiva, exige que se eleja determinado problema social como foco de trabalho e que se estabeleça a relação entre esse problema e um ou vários gêneros do discurso que dele participa(m) seja no sentido de sustentá-lo ou de transformá-lo. O presente estudo, ao dar continuidade às pesquisas e reflexões em Análise Crítica de Gêneros, procura desenvolver três objetivos, quais sejam: a) contribuir para a reflexão acerca de problemas sociais perpassados pela linguagem, envolvendo questões identitárias, relacionais e representacionais; b) aperfeiçoar a metodologia de pesquisa da Análise Crítica de Gêneros; c) entender como explicações dominantes e não dominantes das práticas de linguagem ganham lugar em políticas de ensino e aprendizagem, mediante o estudo de dispositivos reguladores (currículos, livros didáticos, manuais práticos, programas educativos, etc.)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (2) .

Integrantes: Adair Bonini – Coordenador / Vanessa Arlesia De Souza Ferretti Soares – Integrante / Ana Gil Prieto – Integrante / Jocelma Boto Silva – Integrante.

Alaim Souza Neto [Lattes] [alaim.souza@ufsc.br]

Projetos de Pesquisa:

2018 – Atual
Chamada Universal 2018 – EDUCAÇÃO ESCOLAR, CURRÍCULO E TECNOLOGIAS: Análise de infraestrutura, formação docente e aspectos didático-pedagógico-curriculares sobre o uso de tecnologias digitais na escola.
Descrição: Este projeto está inserido como uma das ações de nosso grupo de pesquisa registrado junto ao CNPQ: Observatório de Práticas Curriculares. Assim, este projeto tem por objetivo investigar os usos pedagógicos de tecnologias digitais contemporâneas (computadores, tablets, celulares, etc.) em escolas públicas da rede estadual de ensino localizadas no município de Blumenau, estado de Santa Catarina, atentando, sobretudo, para elementos didáticos e pedagógicos que revelem elementos de possíveis mudanças curriculares durante os processos de ensino e de aprendizagem no ensino de Matemática e Química, relacionando os campos da Educação, Currículo e Tecnologias.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Alaim Souza Neto – Coordenador.
2018 – Atual
EDUCAÇÃO, CURRÍCULO E TECNOLOGIAS: Análise de políticas, infraestrutura, formação docente e aspectos didático-pedagógicos sobre a inserção de tecnologias digitais na escola.
Descrição: O projeto ora apresentado tem por objetivo investigar os usos pedagógicos de tecnologias digitais (computadores, tablets, celulares, etc.) em escolas públicas do município de Blumenau, localizado no estado de Santa Catarina, atentando, sobretudo, para elementos didático-pedagógicos que revelem relações com possíveis mudanças curriculares durante os processos de ensino e de aprendizagem, relacionando os campos da Educação, Currículo e Tecnologias. Sendo assim, a ênfase teórica será subsidiada por interfaces entre o Currículo e a Formação de Professores, Currículo e Políticas Educacionais, Currículo e Tecnologias, Currículo e Escola, além de outras linhas de atuação, como cultura escolar, práticas pedagógicas, etc. No campo macro, pretende-se realizar um mapeamento social das políticas que propõem a inserção de Tecnologias Digitais – TD em sala de aula, juntamente com um mapeamento da situação de escolas públicas blumenauenses no que diz respeito à infraestrutura tecnológica, formação docente e práticas curriculares com o uso das TD. Com base nesse diagnóstico, almeja-se realizar um estudo qualitativo em escolas, objetivando investigar em que medida possíveis mudanças curriculares, especialmente, vinculadas aos processos de seleção, organização, difusão e socialização do conhecimento escolar (conteúdos escolares), podem ser identificadas no cotidiano das escolas selecionadas a partir da inserção destas TD e quais dessas relações são possíveis serem configurar como apropriadas à aprendizagem dos alunos. Como base de dados, pretende-se trabalhar com as informações disponibilizadas nos resultados do Censo Escolar, bem como questionários e, se possível, observações em relações estreita com disciplinas que ministraremos na graduação, a saber: Didática; 1 Professor Adjunto da UFSC ? Universdade Federal de Santa Catarina, lotado no Departamento de Ciências Exatas e Educação do Campus Blumenau. Doutorado em Educação pela UDESC com estágio de pós-doc pela UFSC. Email: Alaim.souza@usfc.br. Organização Escolar; e, Educação, Ciência e Tecnologias. Almeja-se, ainda, criar redes de pesquisa com outras instituições, inclusive Universidades e grupos de pesquisa já constituídos, a fim de estabelecer interlocução com a rede pública de educação básica na cidade de Blumenau, contribuindo com a formação de professores interessados no objeto investigado. Por fim, pretende-se contribuir com a consolidação da implantação da UFSC Blumenau, sobretudo dos cursos de formação de professores para as áreas de Química e Matemática, bem como estimular e promover parcerias nacionais e internacionais em torno dessa temática, como meio de criação de novos espaços de pesquisa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Alaim Souza Neto – Coordenador / Aline Vanessa Poltronieri Gessner – Integrante / Fabiana Schmitt Corrêa – Integrante / Julia rezende Moreira – Integrante.

2018 – Atual

GRUPO DE PESQUISA – OBSERVATÓRIO DE PRÁTICAS CURRICULARES
Descrição: Este grupo intitulado de OPC – Observatório de Práticas Curriculares tem por objetivo problematizar as práticas curriculares na Educação Básica, sobretudo, àquelas relacionadas aos campos do Currículo, Didática e Tecnologias. Este grupo de pesquisa tem por objetivo geral investigar as práticas curriculares em escolas públicas do estado de Santa Catarina, atentando, sobretudo, para elementos didático-pedagógicos que revelam sua relação com possíveis inovações, alterações e/ou transformações dos processos de ensino e de aprendizagem, de modo a fomentar a pesquisa, reflexão e produção de conhecimento no Campo do Currículo e suas interfaces com as Tecnologias..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Alaim Souza Neto – Coordenador / Nicoly Longaretti de Souza – Integrante / Aline Vanessa Poltronieri Gessner – Integrante / Fabiana Schmitt Corrêa – Integrante / Fernanda Luiza de Faria – Integrante / Lais Cristina Viel Gereti – Integrante / Vantuir Dionísio Junior – Integrante / Tuane Gartner – Integrante.
________________________________________________________________________________

Carla Regina Martins Valle [Lattes] [carlavalle10@gmail.com]

Projetos de Pesquisa:

2021 – Atual
Em busca de uma Sociolinguística Educacional Socialmente Constituída: implicações para a educação básica
Descrição: O realinhamento na relação entre as dimensões que constituem a interface da sociolinguística variacionista reposiciona a variação estilística que vai da periferia para a posição central em vários estudos da área (GUMPERZ; COOK-GUMPERZ, 2008; ECKERT, 2008; 2012; 2016; 2018, HERNÁDEZ-CAMPOY, 2016). Tal realinhamento deve encontrar eco na formação de professores do Ensino Básico, por meio de ações que considerem aspectos estilísticos e identitários, bem como as mudanças no cenário social atual. É diante dessa preocupação com a formação docente e com o ensino básico que se direciona o presente projeto, partindo de olhar pautado em uma Sociolinguística Educacional Socialmente Constituída (VALLE; GÖRSKI, inédito). A proposta central consite na implementação do LabVAR ?Laboratório de estudos de variação linguística e práticas pedagógicas?, um laboratório que pretende ser a extensão da sala de aula, envolvendo os discentes de graduação e de pós-graduação para o aprendizado na prática, enquanto desenvolvem pesquisas e ações extensionistas integradas com a Rede de Ensino Público..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Carla Regina Martins Valle – Coordenador / Edair Maria Görski – Integrante.

2020 – Atual

Sociofuncionalismo: impacto de fatores sociais em domínios funcionais
 
Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Edair Maria Görski em 27/10/2020.
Descrição: Considerando que (i) além da estratificação social do falante, também a contínua emergência de novas identidades/personas tem reflexos na variação linguística (cf. estudos de Eckert, Bucholtz e Kiesling, entre outros); e (ii) embora o funcionalismo ensaie algum aceno em direção a um social que vai além da interação entre falante e ouvinte, limita-se fortemente à dimensão pragmática da situação comunicativa associada à dimensão cognitiva (cf. estudos de Givón, Hopper e Traugott, entre outros), este projeto tem como objetivo avançar nas reflexões acerca da articulação entre Funcionalismo e Sociolinguística, explorando diferentes dimensões do significado social, de modo a alinhá-lo com o significado semântico-pragmático-discursivo (i.é., a função) veiculado pelas formas linguísticas em variação e mudança. Com esse novo ângulo de abordagem, esperamos contribuir não só para a expansão e o fortalecimento dessa interface, mas também para uma ampliação do leque de fenômenos que podem receber um tratamento sociofuncionalista por diferentes caminhos de integração..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Carla Regina Martins Valle – Integrante / Edair Maria Görski – Coordenador / Maria Alice Tavares – Integrante / Kamilla Oliveira do Amaral – Integrante.

2019 – Atual

Laboratório de estudos de variação linguística e práticas pedagógicas
Descrição: Nas últimas décadas, há um realinhamento na relação entre as dimensões que constituem a interface da variação sociolinguística, sendo a variação estilística reposicionada e passando da periferia para a posição central em vários estudos da área (GUMPERZ; COOK-GUMPERZ, 2008; ECKERT, 2012, HERNÁDEZ-CAMPOY, 2016). Tal realinhamento deve encontrar eco na formação de professores do Ensino Básico, por meio de ações promovidas para a articulação variação-ensino que considerem aspectos estilísticos e identitários. É diante dessa preocupação com a formação docente que se direciona o presente projeto. Propõe-se a criação do ?LabVAR?, um laboratório que pretende ser a extensão da sala de aula, visando a integração de alunos de graduação e pós-graduação em ações que ? envolvendo o tripé ensino-pesquisa-extensão ? busquem estabelecer conexão entre as discussões atuais na área da Sociolinguística Variacionista e o Ensino Básico. Nesse intento, Pretende-se que o laboratório possa constituir-se como instância contínua para: i) pesquisas acadêmicas voltadas para as demandas do ensino; ii) o desenvolvimento de materiais e atividades, visando complementar o material didático oferecido pelo Programa Nacional do Livro Didático; iii) a organização e implementação de cursos de formação continua para professores rede pública de Santa Catarina..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (2) .

Integrantes: Carla Regina Martins Valle – Coordenador / Edair Maria Görski – Integrante / Cláudia Brescancini – Integrante / Isabel da Silva Monguilhott – Integrante / Izete Lehmkuhl Coelho – Integrante / Cristine Gorski Severo – Integrante / Leandra Cristina de Oliveira – Integrante / Clovis Alencar Butzge – Integrante / Marcela Langa Bragança – Integrante / Ana Beatriz Oliveira Ribeiro – Integrante / Érica Marciano de Oliveira Zibetti – Integrante / Lucilene Lisboa de Liz – Integrante / Valter Romano – Integrante / Renée de Souza Hasperoy – Integrante / Ana Kelly Borba da Silva Brustolin – Integrante / Marco Antonio Rocha Martins – Integrante.

2019 – Atual

Ensino de Gramática na escola: do conhecimento linguístico inconsciente à consciência linguística
Descrição: Este Projeto de pesquisa objetiva investigar de que forma o conhecimento gramatical, especialmente do sistema pronominal e dos padrões de concordância nominal e verbal, é adquirido por crianças, e de que modo a escola desenvolve/trabalha (com) este conhecimento, na Educação Básica. Isso é importante para termos um panorama do ensino de gramática na escola e como podemos pensar em propostas que possam auxiliar os professores a pensar a gramática como um dos elementos centrais do ensino de língua e que produz sentido(s) nos diferentes gêneros textuais/discursivos. O projeto apresenta como base teórica uma concepção de gramática como conhecimento internalizado, seguindo a perspectiva chomskiana. Ademais, se ancora também nos pressupostos da sociolinguística variacionista, segundo os quais a língua é uma atividade social heterogênea, passível de variação e de mudança. No que se refere aos aspectos metodológicos, este projeto apresentará a abordagem quali-quantitativa e se valerá de bancos de dados já constituídos, com foco em dados de aquisição de língua oral, dados de escrita, produzidos por crianças e adolescentes da Educação Básica, de escolas públicas brasileiras. Trata-se de um projeto que envolve uma parceria institucional de pesquisadores das seguintes universidades: UFSC, UDESC, UNIPAMPA, UFTPR, UFFS. Os fenômenos acima mencionados, a saber, concordância nominal e verbal serão desenvolvidos por pesquisadores da UDESC, UNIPAMPA e da UFTPR; com relação ao sistema pronominal, a investigação será desenvolvida pelos pesquisadores da UFFS, UFSC..


Integrantes: Carla Regina Martins Valle – Integrante / Isabel da Silva Monguilhott – Integrante / Lucilene Lisboa de Liz – Coordenador / Marco Antonio Rocha Martins – Integrante / Cristina de Souza Prim – Integrante / Sabrina Casagrande – Integrante.

______________________________________________________________________________

Celdon Fritzen [Lattes] [celdon@hotmail.com]

Projetos de Pesquisa:

2018 –  O cânone escolar contemporâneo: o vestibular e o ENEM

Não há nos PCN e mesmo nas recentes versões da Base Nacional Curricular Comum nada que especifique um currículo de formação do leitor literário senão na forma de generalidades. Diante dessa reticência, a escola básica trabalha a partir da inércia da tradição positivista da História Literária, do referencial dos livros didáticos e principalmente da literatura que circula nos exames de seleção para as universidades. Pode-se dizer que duas são as modalidades de acesso ao ensino superior hoje: os vestibulares das Instituições de Ensino Superior (IES) e o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Conhecer e avaliar os cânones de tais exames seletivos, portanto, é uma tarefa de importância sobretudo pelas consequências que no sistema de ensino e na vida social eles produzem. Problematizar, portanto, esses exames no que se refere ao delineamento de cânones contemporâneos e modos de leitura que afetam a educação básica e valor social atribuído à leitura literária na contemporaneidade é o que aqui se busca.
Integrantes: Celdon Fritzen e Bianca Maria de Souza

Elenice Maria Larroza Andersen [Lattes] [andersen.elenice@gmail.com]

Projetos de Pesquisa:

2019 – Atual
Desenvolvimento e avaliação de um paradidático digital infantil a partir de evidências da pesquisa em cognição e neurociência
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Elenice Maria Larroza Andersen – Coordenador.
2019 – Atual
Estratégias de ensino da leitura e da escrita com tecnologias e sua relação com indicadores motivacionais de estudantes – uma abordagem cognitiva
Descrição: Considerando-se a indissociabilidade cognição-emoção (DAMÁSIO, 2012), bem como o fato de que as atitudes face à escola e às disciplinas são um fenômeno determinante nos resultados escolares dos alunos, no engagement nas atividades e no desejo de prosseguir nos estudos (REBELO, 2012), este projeto busca abarcar, no âmbito do Mestrado Profissional em Letas (ProfLetras ? UFSC), pesquisas de intervenção em leitura e escrita, fundamentadas em estratégias cognitivas reconhecidas na literatura na área como favoráveis à compreensão leitora e à produção de textos, que verifiquem o impacto de tais estratégias também nos indicadores atitudinais de motivação e interesse pela disciplina de língua portuguesa e, particularmente, pela leitura e escrita..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: / Mestrado profissional: (2) .

Integrantes: Elenice Maria Larroza Andersen – Coordenador.

Fabiana Giovani [Lattes] [fabiana.giovani@ufsc.br]

Projetos de Pesquisa:

2019 – Atual
Caleidoscópio bakhtiniano: das infinitudes dos sentidos da linguagem escrita
Descrição: O presente projeto de pesquisa tem por proposta refletir sobre as infinitudes dos sentidos da linguagem escrita a partir da arquitetônica de Bakhtin e seu Círculo de estudos, compreendida como um caleidoscópio. Respalda teórico e metodologicamente na arquitetônica bakhtiniana e estabelece por objeto de estudo o texto escrito que pode ser produzido em qualquer contexto social, seja escolar ou não. A pesquisa desenvolvida na UFSC poderá contar com discentes da graduação e da pós graduação..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Fabiana Giovani – Coordenador.

Isabel de Oliveira e Silva Monguilhott [Lattes] [monguilhott@hotmail.com]

Projetos de Pesquisa:

 

Início: 2019 – atual

O ensino de Língua Portuguesa no estágio supervisionado do Curso de Letras Português

 Descrição: Pretende-se, com este projeto de pesquisa, investigar propostas de ensino de língua portuguesa efetivadas na aprendizagem da docência no estágio supervisionado do Curso de Letras Língua Portuguesa, da Universidade Federal de Santa Catarina, em turmas dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio, no período compreendido entre os anos de 2009 a 2019. Para este estudo serão consideradas a concepção de língua e de ensino de língua que fundamenta cada um dos projetos, o que se define como unidade e como objeto de ensino da aula de língua portuguesa e, particularmente, as atividades de oralidade, leitura, escrita e gramática/análise linguística que são propostas e como estas são efetivamente concretizadas na ação docente. A análise dessas propostas de ensino, bem como de sua efetivação em sala de aula, será realizada com base nos relatórios de estágio elaborados pelos alunos estagiários dos quais constam o projeto de estágio com os planos de aulas previstos para o período de estágio, assim como a reflexão realizada pelos estagiários sobre a efetivação das propostas. Para a realização da pesquisa, baseamo-nos em autores que discutem e propõem reflexões sobre o ensino de língua, Antunes (2003, 2009); Bakhtin (1990, 2003); Batista (1997); Geraldi (1993, 1996, 2010) e autores que discutem e propõem reflexões sobre o estágio, Pimenta e Lima (2004). Como resultado final, esperamos organizar o levantamento das propostas já efetivadas e analisadas, em um acervo com vistas a uma fonte de consulta para os alunos estagiários do Curso de Letras Língua Portuguesa e também para os professores das redes de ensino para que possam implementá-las em sua ação didático-pedagógica..
Situação: Em andamento.

Natureza:Pesquisa.
Integrantes: Isabel de Oliveira e Silva Monguilhott – Coordenadora / Maria Izabel de Bortoli Hentz – Integrante.

 

 

Início: 2017 – atual

O ensino da produção textual no Ensino Médio

Descrição: Este projeto de pesquisa tem como foco o ensino da escrita no Ensino Médio. A escolha do tema justifica-se com base em indícios de que, na prática pedagógica de muitos professores, a produção de textos ainda não se constitui na unidade de ensino da aula de português, tal como indicam os resultados das pesquisas na área, desde meados da década de 1980, e como propõem os documentos oficiais para o ensino de língua. Pretende-se, assim, investigar o que nos dizem as redações do ENEM sobre o ensino da escrita no Ensino Médio em escolas públicas da Grande Florianópolis que apresentaram e mantiveram o mesmo padrão de notas nas redações do ENEM por três anos em um período de seis anos, tomando como ponto de observação as variáveis que interferem nesse processo, pela relação que se estabelece entre a atividade pedagógica, de responsabilidade da instituição de ensino, e as práticas de letramento dos participantes em contexto extraescolar. Como orientação teórico-metodológica para esta investigação assume-se a perspectiva sócio-histórica, cujo princípio central é o estudo dos fenômenos como processos, com base nas contribuições da teoria do dialogismo de Bakhtin (1990, 2003, 2005). Para a pesquisa de campo, recorre-se às contribuições da abordagem etnográfica (GEERTZ, 1978, p.20), cujo foco de análise passa a ser o aspecto processual do mundo social e não um produto padronizado. Como procedimentos para a pesquisa empírica, destacam-se a utilização de questionários e realização de entrevistas abertas e semi-estruturadas; observação (e, se necessário, gravação em áudio e/ou vídeo) de aulas de língua portuguesa, com registro em diário de campo; participação em reuniões e seminários que envolvam o tema da pesquisa, em especial os que se realizam nas escolas campo da pesquisa empírica entre outros que se fizerem necessários. A pesquisa a ser desenvolvida tomará como público alvo professores de Língua Portuguesa da educação básica e seus alunos, particularmente do ensino médio, a serem selecionadas com base no banco de dados do INEP, dentre as escolas que apresentaram e mantiveram o mesmo padrão de notas nas redações do ENEM por três anos em um período de seis anos. Entende-se que esta pesquisa pode apontar as variáveis que interferem no ensino da escrita no ensino médio, a fim de que se possa contribuir de alguma forma para que a aula de português se constitua no lugar de práticas de linguagem pelos textos que ali se escrevem. Além disso, as contribuições deste projeto de pesquisa consistem no retorno às escolas das possíveis variáveis implicadas nos seus resultados e na proposição de um curso de extensão a professores de Língua Portuguesa das escolas públicas da Grande Florianópolis, como espaço de reflexão sobre o ensino produção textual no Ensino Médio e de elaboração de propostas metodológicas para o ensino da escrita nesse nível de ensino…
Situação: Em andamento.

Natureza:Pesquisa.
Integrantes: Isabel de Oliveira e Silva Monguilhott – Integrante / Maria Izabel de Bortoli Hentz – Coordenadora.

 

 

 Início: 2020 – atual

Laboratório de estudos de variação linguística e práticas pedagógicas

 

Descrição: Nas últimas décadas, há um realinhamento na relação entre as dimensões que constituem a interface da variação sociolinguística, sendo a variação estilística reposicionada e passando da periferia para a posição central em vários estudos da área (GUMPERZ; COOK-GUMPERZ, 2008; ECKERT, 2012, HERNÁDEZ-CAMPOY, 2016). Tal realinhamento deve encontrar eco na formação de professores do Ensino Básico, por meio de ações promovidas para a articulação variação-ensino que considerem aspectos estilísticos e identitários. É diante dessa preocupação com a formação docente que se direciona o presente projeto. Propõe-se a criação do ?LabVAR?, um laboratório que pretende ser a extensão da sala de aula, visando a integração de alunos de graduação e pós-graduação em ações que ? envolvendo o tripé ensino-pesquisa-extensão ? busquem estabelecer conexão entre as discussões atuais na área da Sociolinguística Variacionista e o Ensino Básico. Nesse intento, Pretende-se que o laboratório possa constituir-se como instância contínua para: i) pesquisas acadêmicas voltadas para as demandas do ensino; ii) o desenvolvimento de materiais e atividades, visando complementar o material didático oferecido pelo Programa Nacional do Livro Didático; iii) a organização e implementação de cursos de formação continua para professores rede pública de Santa Catarina..
Situação: Em andamento.

Natureza:Pesquisa.
Integrantes: Carla Regina Martins Valle – Coordenadora / Isabel de Oliveira e Silva Monguilhott – Integrante / Izete Lehmkhul Coelho – Integrante / Marco Antonio Martins – Integrante / Edair Görski – Integrante

 

 

Início: 2020 – atual

Ensino de Gramática na escola: do conhecimento linguístico inconsciente à consciência linguística

 

Descrição: Este Projeto de pesquisa objetiva investigar de que forma o conhecimento gramatical, especialmente do sistema pronominal e dos padrões de concordância nominal e verbal, é adquirido por crianças, e de que modo a escola desenvolve/trabalha (com) este conhecimento, na Educação Básica. Isso é importante para termos um panorama do ensino de gramática na escola e como podemos pensar em propostas que possam auxiliar os professores a pensar a gramática como um dos elementos centrais do ensino de língua e que produz sentido(s) nos diferentes gêneros textuais/discursivos. O projeto apresenta como base teórica uma concepção de gramática como conhecimento internalizado, seguindo a perspectiva chomskiana. Ademais, se ancora também nos pressupostos da sociolinguística variacionista, segundo os quais a língua é uma atividade social heterogênea, passível de variação e de mudança. No que se refere aos aspectos metodológicos, este projeto apresentará a abordagem quali-quantitativa e se valerá de bancos de dados já constituídos, com foco em dados de aquisição de língua oral, dados de escrita, produzidos por crianças e adolescentes da Educação Básica, de escolas públicas brasileiras. Trata-se de um projeto que envolve uma parceria institucional de pesquisadores das seguintes universidades: UFSC, UDESC, UNIPAMPA, UFTPR, UFFS. Os fenômenos acima mencionados, a saber, concordância nominal e verbal serão desenvolvidos por pesquisadores da UDESC, UNIPAMPA e da UFTPR; com relação ao sistema pronominal, a investigação será desenvolvida pelos pesquisadores da UFFS, UFSC.
Situação: Em andamento.

Natureza:Pesquisa.
Integrantes: Isabel de Oliveira e Silva Monguilhott – Integrante / Marco Antonio Martins – Integrante / Lucilene Lisboa de Liz – Coordenadora / Sabrina Casagrande – Integrante / Cristina Prim – Integrante / Leonor Simioni – Integrante.

 

________________________________________________________________________________

Rodrigo Acosta Pereira [Lattes] [drigo_acosta@yahoo.com.br]

Projetos de Pesquisa:

2020 – Atual

ESTUDO DIALÓGICO-SOCIOLÓGICO DE LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL

Descrição (até 1.000 caracteres)O presente projeto inscreve-se nas linhas de pesquisa “Estudos do campo discursivo” e “Ensino e aprendizagem de língua portuguesa” do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSC, associada ao GRPesq/CNPq “NELA – Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada”. As etapas do projeto serão desenvolvidas/realizadas colaborativamente com uma equipe de investigadores em formação em nível de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado, em diferentes subprojetos de pesquisa, orientados pelo professor, autor deste projeto em tela. Nosso quadro teórico é de matiz transdisciplinar (MOITA LOPES, 1998; 2006; 2013) à luz dos Estudos Dialógicos da Linguagem e dos estudos sobre culturas híbridas e hipermodernidade. Nesse enquadre teórico, examinam-se as relações existentes entre as práticas discursivas e a construção semântico-ideológico-valorativa do ensinar língua em livros didáticos de Língua Portuguesa no Brasil. O presente projeto visa, dessa forma, à análise e à interpretação das práticas sociais de uso da linguagem em contexto social. Em outras palavras, este projeto tem por objetivo analisar o discurso da construção semântico-ideológico-valorativa do ensinar língua em livros didáticos de Língua Portuguesa. Para tanto, em termos teóricos, consociamo-nos aos Estudos Dialógicos da Linguagem, especificamente aos escritos de Bakhtin e o Círculo e dos estudos contemporâneos em Análise Dialógica do Discurso em diálogo com as pesquisas atuais sobre culturas híbridas e hipermodernidade. Em termos metodológicos, especificamente, direcionamo-nos a investigar o(s) discurso(s) em livros didáticos de Língua Portuguesa brasileiros direcionadas ao ensinar língua, especificamente livros didáticos de Língua Portuguesa para o Ensino Fundamental e Médio. O recorte do objeto se dará em consonância com as coleções mais utilizadas na região sul do Brasil, segundo dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A análise engendra-se ao estudo das dimensões social e verbo-visual (multissemiótica) desses livros à luz dos campos teórico-metodológicos supracitados.

Integrantes: Rodrigo Acosta Pereira – Coordenador / Terezinha da Conceição Costa-Hubes – Integrante.

2017 – Atual
Práticas discursivas em contextos escolares e não escolares
Descrição: O projeto de pesquisa em tela objetiva desenvolver investigações sobre práticas discursivas em contextos escolares e não escolares. Como ancoragem teórico-metodológica, o projeto se situa no campo dos Estudos Dialógicos da Linguagem à luz dos escritos do Círculo de Bakhtin. Em termos metodológicos, especificamente, o projeto engendra-se em estudos de análise dialógica de discurso, análise dialógica de gêneros do discurso, pesquisa-ação, análise documental e análise bibliométrica. Ademais, cabe ressaltar que o projeto consocia-se a estudos contemporâneos em Linguística Aplicada sob o matiz da indisciplinaridade. Objetivando, portanto, um percurso científico heterogêneo e indisciplinar, investigaremos, sob essa perspectiva, a constituição e o funcionamento do(s) discurso(s) (em contextos escolares e não escolares) a partir de suas regularidades social (dimensão social) e enunciativo-discursiva e linguístico-textual (dimensão verbo-visual), posto que começar pela produção do discurso como [sua] realidade primeira e integrar-se as suas produções nos seus diferentes campos, é afirmar a compreensão como diálogo (BAKHTIN, 2003[1979], p. 324-325)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (3) / Mestrado profissional: (3) / Doutorado: (5) .

Integrantes: Rodrigo Acosta Pereira – Coordenador.

Rosângela Hammes Rodrigues [Lattes] [hammes@cce.ufsc.br]

Projetos de Pesquisa:

2014 – Atual
A língua portuguesa na Educação Básica: ensino e aprendizagem das práticas de linguagem e formação docente
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (3) .

Integrantes: Rosângela Hammes Rodrigues – Coordenador / Evimarcio Cunha Aguiar – Integrante / Marluce Marlene Raulino – Integrante / Paulo Rogério Borges de Lima – Integrante / Carlota Gabriela Tavares – Integrante.
2014 – Atual
O ensino de língua portuguesa nas escolas de Santa Catarina no Século XX (1900 a 1980): o discurso e a práxis escolar
Descrição: O ensino e a aprendizagem de línguas é um dos grandes temas de pesquisa da área de Linguística Aplicada. Nesse contexto, este projeto focaliza o estudo histórico do ensino e aprendizagem de língua portuguesa, entendido como um discurso social, um discurso escolar sobre esse ensino. Assim sendo, este projeto tem por objetivo analisar como se constituiu o ensino de língua portuguesa no Estado de Santa Catarina durante o século XX, de modo especial, de 1900 a 1980 (década em que começa a última reforma de ensino). São de interesse deste projeto pesquisar: as finalidades do ensino de língua portuguesa, conteúdos de ensino e aprendizagem, avaliação, sujeitos envolvidos nesse processo, dentre outros temas. Isto porque o estudo sobre o ensino de língua portuguesa, como um discurso social, um já-dito sobre o ensino de línguas (memória do passado) na escola permite-nos também uma melhor compreensão sobre o ensino e aprendizagem de línguas tal qual constituído hoje. Considerando que se trata de um projeto ?guarda-chuva? que abrigará também projetos de orientandos, ele se desdobrará em micro-projetos com focos mais específicos sobre um conjunto de dados, seja uma escola, um período de uma escola, relatórios escolares, planos de ensino, material didático etc. A metodologia, de natureza qualitativa, alia procedimentos de pesquisa documental com procedimentos de pesquisa de estudo de caso, de estudo etnográfico, dependendo sempre do projeto específico em tela..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (3) .

Integrantes: Rosângela Hammes Rodrigues – Coordenador / Marcella Lomba Nabas – Integrante / Rosana Aparecida de Mello Garcia – Integrante / Samarys Lynette Cruz-Báez – Integrante / Tânia Maria Barroso Ruiz – Integrante.
Número de orientações: 4

Rosângela Pedralli [Lattes] [rosangelapedralli@hotmail.com]

Projetos de Pesquisa:
2016 – Atual
Educação Linguística na perspectiva histórico-cultural: conhecimento e formação humana
Descrição: O foco deste projeto está delimitado à Educação Linguística tomada em relação dialética (VIGOTSKI, 1929) entre instâncias que regulamentam o ensino em larga escala, instituições escolares e ações didático-pedagógicas, com especial atenção aos conhecimentos destacados e ao potencial formativo em/de tal relação. Movem o presente projeto de pesquisa as seguintes questões: Como a Educação Linguística é concebida em documentos parametrizadores de ensino nacionais e estaduais e em projetos de formação em larga escala? Que conhecimentos são destacados em tais documentos e em tais projetos formativos? Em nome de que formação humana tais documentos e tais projetos são delineados? Cabe salientar que interessa-nos sobremaneira o trabalho com Educação Linguística na perspectiva histórico-cultural (VIGOTSKI, 1931; 2000 [1978]; LEONTIEV, 1978a; 1978b) em quatro contextos específicos: (i) processos escolares de alfabetização; (ii) modalidade de Educação de Jovens e Adultos; (iii) formação humana em esfera acadêmica; e (iv) formação de professores..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: Rosângela Pedralli – Coordenador / Raquel Coelho – Integrante / Jocilei Cabral – Integrante.

Silvia Ines Coneglian Carrilho de Vasconcelos [Lattes] [silviaconeglian@terra.com.br]

Projetos de Pesquisa:

2019 – Atual

ANÁLISE DE DISPOSITIVOS DIGITAIS COM FINS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA MATERNA E NÃO MATERNA

Este projeto tem por foco analisar dispositivos digitais (app) disponíveis no ciberespaço utilizados como material didático, voltado para professores ou aprendizes de língua portuguesa como língua materna (PLM) e não materna (PLNM) como PLE, PSL, PLA, PLH dentre outras modalidades em curso. O objetivo maior do presente projeto está centrado na possibilidade de contribuição para um conhecimento crítico acerca de dispositivos digitais no ciberespaço e na intervenção em programas e políticas de formação de professores de língua em geral e de língua portuguesa em especial. As perguntas de pesquisa norteadoras do processo investigativo estão vetorizadas para: Quais dispositivos digitais utilizados como material didático de língua portuguesa (PLM e PLNM) estão sendo disponibilizados no ciberespaço? Como os dispositivos digitais utilizados como material didático de língua portuguesa (PLM e PLNM) vêm sendo elaborados? Quais habilidades são requeridas e quais são desenvolvidas pelos usuários desses dispositivos digitais? Quais bases teóricas subjazem ao discurso presente nesses materiais didáticos? Quais forças de constituição identitária estão em jogo nesses materiais didáticos? A base teórica abarca três eixos: a teorização sobre métodos ou abordagens de ensino de língua materna e não materna; a teorização sobre processos identitários que constituem sujeitos e imaginários, especialmente com ecos lusófonos, e a teorização sobre concepções de língua e aprendizagem de língua bem como as habilidades requeridas. Os procedimentos metodológicos são de cunho qualitativo, aplicados em movimentos analítico-interpretativos dos dispositivos digitais selecionados na internet e que são compostos inicialmente por cerca de 15 dispositivos digitais (app) utilizáveis no ensino de PLM e PLNM.

 

 

 

 

2020 – AtualO HUMOR COMO DISPOSITIVO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO PARA O ENSINO DE LÍNGUAS

Muitas pesquisas têm sido realizadas com o objetivo de buscar soluções alternativas às práticas tradicionais de ensino de línguas para o enfrentamento de questões como concentração durante as atividades pedagógicas ou como a falta de estímulo à participação mais efetiva dos estudantes. Uma das indicações mais promissoras tem sido o uso do humor como uma possibilidade pedagógica de envolvimento dos alunos nas atividades propostas. Resultados de pesquisas recentes como os do grupo de pesquisa do LAJOLI (Laboratório de Jogos de Linguagem) da Universidade de Pernambuco (2019) vêm indicando a importância do aspecto lúdico do jogo ou de atividades pautadas em relações humorísticas na aprendizagem de crianças e adolescentes. Pesquisadores como Justo (2006), Engrácio (2008) e Nogueira (2012) têm apontado os benefícios do uso do dispositivo humorístico em relação ao aprendizado de conteúdos específicos. Os resultados da pesquisa empreendida por Vasconcelos (2017; 2018; 2019) também indicam o aparecimento de atividades pedagógicas centradas em práticas sociais calcadas em situações de comicidade, em que o humor e o riso sejam o foco. Em vista dos benefícios de atividades lúdicas e/ou humorísticas, cômicas ou risíveis, propõe-se o presente projeto de pesquisa cujo objetivo geral é contribuir para a construção de um conjunto de conhecimentos e de propostas didáticas como materiais didáticos impressos ou digitais acerca do humor e seus termos correlatos voltados ao desenvolvimento de estratégias de ensino envolvente. Os objetivos específicos são: a) elaborar um balanço acerca das contribuições teóricas do humor e termos correlatos para o ensino; b) elaborar análise de texto ou discursos midiáticos ou digitais que tenham o humor como traço característico e levantar as possibilidades de produção de material didático impresso ou digital a partir desses textos ou discursos; c) propor práticas pedagógicas aplicáveis aos vários níveis de ensino que ficarão disponíveis para futuras aplicações. As seguintes perguntas de pesquisa foram formuladas como norteadoras do projeto: a) quais características do lúdico, do humor, do cômico e do risível são funcionais em processos didático-pedagógicos? e b) como podem ser utilizados os textos ou discursos veiculadores de humor em materiais didáticos e em sala de aula? A metodologia da pesquisa é qualitativa, de caráter analítico-interpretativo, numa primeira etapa, e propositivo, em etapa posterior. Os resultados esperados são: produção de balanço teórico sobre o tema a ser publicado em artigo acadêmico ou capítulo de livro, produção de pelo menos uma proposta didática concreta para cada texto ou discurso midiático (impresso ou digital) analisado.
2021 – Atual

Meu amigo Lusófono IV – University of San Francisco e Universidade Federal de Santa Catarina

Os alunos da University of San Francisco (EUA) estudam português como língua estrangeira ou segunda língua. Para melhorar o desempenho, a professora de língua portuguesa, Tatiana Dutra e Mello desenvolve atividades concretas de uso da lingua. Neste ano, estamos – Tatiana Dutra e Mello e Silvia Ines Coneglian Carrilho de Vasconcelos – desenvolvendo um projeto de extensão que tem como objetivo fazer com que os alunos da USF conheçam um pouco da cultura brasileira/catarinense através das entrevistas, e que recontem as histórias que ouvirem e o que aprenderam com as conversas. Esta experiência costuma dar aos alunos uma visão única da vida nos países lusófonos: a do ponto de vista do cidadão comum. Considerando o sucesso das três versões anteriores, está sendo proposta a terceira versão do projeto de extensão.
2021 – Atual

PORTUGUÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL – NÍVEL A1
A presente proposta busca atender ao EDITAL Nº 1/2021/ PROEX/SINTER/SEAD/SEPLAN EDITAL PARA OFERTA DE CURSOS VIRTUAIS DE EXTENSÃO EM APOIO AO PROGRAMA DE MOBILIDADE VIRTUAL DA UFSC. A opção é pelo curso 1. Curso Básico: Português como Língua Adicional – Nível A1 (Part 1), em português brasileiro, tendo em vista a expansão da demanda por esse tipo de curso. O curso tem como objetivo geral auxiliar os aprendentes de língua portuguesa a desenvolver habilidades de comunicação oral, de compreensão oral e escrita, de leitura e de escrita em nível básico (A1) do português brasileiro com ênfase em funções comunicativas dos contextos mais frequentes e em aspectos culturais da variante brasileira. Objetivos específicos: a) subsidiar os aprendentes a utilizarem com eficiência: as formas de apresentação, cumprimentos, dias da semana, meses do ano, cores, estações do ano, países e nacionalidades, números, os sons e o alfabeto da língua portuguesa e formas discursivas voltadas à sobrevivência no país. b) propiciar aos aprendentes a vivência contextualizada de algumas classes gramaticais fundamentais para uma interlocução básica; c) proporcionar aos aprendentes situações lúdicas de aprendizagem da língua portuguesa.